Olá amigos! Sejam bem-vindos a SEGUNDA VERSÃO (você pode conferir a primeira aqui) do meu artigo sobre a “Ambição” (Haki) em One Piece!

Antes de mais nada, eu queria agradecer o feedback positivo que a primeira versão do artigo teve (e ainda tem) em blogs, fóruns e locais frequentados por fãs de OP (menos pro pessoal do FórumProject, que tem uma mania ESCROTA de simplesmente copiar meus textos e jogar lá como se fossem tópicos de alguém! E sem me linkar!!) pela net afora! Muito obrigado mesmo!! Conto com vocês pra divulgarem essa versão por aí também e é claro, a comentarem e debaterem aqui!

O texto não está muito diferente em relação à versão anterior não. Corrigi umas coisinhas aqui e ali, mudei uma frase ou outra, erros de português e é claro, tudo de novo que se sabe sobre a “Ambição” (e principalmente sobre o Endurecimento Armado) foi incluído. Também teorizei e especulei sobre mais algumas coisas, enfim! Lê aí e me dá uma moral rs

Enfim, sem mais delongas, aqui está: O Advento da “Ambição” em One Piece: Fatos, Teorias & Especulações – 2º Versão!

Como o título já diz, eu me propuz a fazer um apanhado geral sobre o advento da Ambição na série, compilando fatos, especulando e teorizando em alguns pontos. Pra isso eu fiz um estudo intenso de releitura do mangá e posso dizer que até revi alguns conceitos meus que eu tinha sobre tudo isso.

Espero que seja esclarecedor para alguns e interessante pra todos! Espero que vocês gostem e que várias discussões produtivas possam surgir (como já surgiram antes) em relação ao assunto. Então, vamos começar!

artigo_amb_headerv02

 

O advento do conceito da Ambição na série chegou pra dar uma sacudida em tudo que era estabelecido no mangá em muito tempo. É normal, sendo uma obra aberta e ainda em andamento, os paradigmas tem que mudar mesmo. Antes, por exemplo, tinhamos a primeira metade da Grand Line e o grande “desafio” Pirata eram os Shichi Bukai. Agora no Novo Mundo temos os Yonkou. E é até interessante que exista uma nova espécie de poder que é quase um requisito pra se chegar ao “Mar dos Fortes e Escolhidos”. Como eu já disse várias vezes, eu amo esse novo conceito, só passo a detestar quando ele parece causar uma confusão e euforia desnecessárias no fandom.

A curva crescente de aparição do poder no mangá foi muito bem conduzida (com algumas ressalvas, que eu vou falar mais pra frente). Desde a primeira referência obscura ao termo, a utiização de uma das Tonalidades em uma outra cultura com um outro nome, até a volta dele com Shanks embarcando no Moby Dick e tudo que gradativamente foi sendo mostrado até chegarmos no treinamento de Ruffy e as explicações de Rayleigh.

Não sei dizer qual foi o exato momento (nem tenho como né? LOL) que Oda definiu que sua série teria uma nova espécie de poder e definiu suas diretrizes certinhas e decidiu ir apresentando aos poucos, mas tudo aponta pra uma idealização bem precoce (mas não tão precoce assim, sim, estou falando do Shanks e o Rei da Costa da Vila Fusha. Vou defender até quando eu puder que o Shanks intimidou normalmente o bicho).

Eu tentei encontrar “problemas” ou “furos” mas só consegui ficar mais abismado com tudo. E nos que eu encontrei que me incomodavam mais, eu mesmo pensando um pouco consegui derrubar minhas próprias suspeitas. Por exemplo, Crocodile no Vol. 23 dizendo “Impossível… Sem água como ele tá me acertando?”, me incomodava demais, porque não importa o quanto o fandom o desmereça por ele ser um inimigo do “começo” do mangá, ele é um dos Grandes Piratas do Mundo. Vai dizer que Crocodile nunca tomou um sacode federal no Novo Mundo antes? Ele mesmo se põe na categoria de “Medalista de Prata”.

Alguem que grita pro Homem mais Forte do Mundo um “Eu não admito isso, Barba Branca!! Eu não pretendia ter perdido pra um homem tão fraco assim!!!” e já esteve no Novo Mundo, tem que ter tomado umas porradas sérias de Tonalidade Armada, ainda mais sendo Logia (mas admito que ele tem uma fraqueza que pode fazer com que inimigos não precisem disso, mas enfim). É só ver que não há surpresa alguma da parte dele quando ele toma um soco do Jozz sem ele estar molhado.

Assim como Barba Negra perguntando a Ace “Deve fazer tempo que você não toma um soco, não é?”. Ele estava no Navio do Barba Branca, viu o velhote fazer gato e sapato dele. Será que depois daquilo o Ace não teve mais nenhuma luta feroz estilo a que teve com o Jinbei? Não tomou nem um soco?

Enfim, tudo isso é explicavel na série. No exemplo do Crocodile, eu acredito (e sou embasado pelo mangá, mais exemplos no final do artigo) que aqueles que conhecem as Tonalidades da Ambição (mais especificamente no caso “físico” da Armada) conseguem sentir seu uso. Crocodile tava apanhando, não “sentia” Tonalidade Armada, o moleque não tava molhado, tinha motivo pra “surtar” mesmo. Depois que ele descobre que o Ruffy estava usando o próprio sangue. No caso de Ace vs Barba Negra, nessa luta mesmo dá pra ver que o que surpreende mesmo o Ace é o fato de ter perdido os poderes ao ser tocado. Além de que, temos que entender que algumas coisas tem que acontecer na série em nome do roteiro e do andamento do storytelling. Se o Ace falasse “e daí, cara? Nunca ouviu falar em Haki111!! não? LOL gordo otário” ou o Crocodile fizesse uso das Tonalidades (e sua não proficiência nelas não o diminui em nada, malditos!!) contra o Ruffy, a série não seria o One Piece que é, e sempre foi tão bem conduzido pelo Oda.

O único GRANDE PROBLEMA que eu tenho em relação ao desenvolvimento de todo esse processo gradual de surgimento do poder no mangá, é com as propriedades defensivas da Tonalidade Armada (ESPECIALMENTE o Endurecimento Armado). Ela não sobrevive a uma mínima analise crítica que se proponha a encaixá-lo como algo bem pensado e bem trabalhado em todo esse processo de “hakilização” do Mangá. E infelizmente, não foi mesmo. Mas eu vou falar sobre isso em detalhes na parte correspondente a isso no artigo.

O Oda ser tão foda (com essa ressalva acima), nesse caso só gera mais e mais essa coisa atual de parte do fandom de que TUDO É OU FOI “HAKI1111!!!”. Algo que foi introduzido com tanta cautela e mesmo agora estando totalmente as claras, tem até um certo uso contido e comedido, passou a ser a causa de tudo que acontece, irá acontecer ou já aconteceu no mangá. As pessoas não são mais e nunca mais serão simplesmente fortes ou resistentes, mesmo sem evidência alguma “foi o haki dele que aguentou o tranco”.  Vergo não está usando Geppou e sim “usando haki em seus pés pra lhe impulsionar pelas paredes” (hein???), tudo isso são exemplos reais de coisas que andei lendo por aí. O “exagero do exagero” que é a Ambição, tem se tornado a “mais banal das banalidades” pra alguns.

Não duvido que vamos ter a Ambição mais e mais presente no mangá, claro que vamos, mas vamos ter calma, galera. Dá pra afirmar que 97% das vezes o Oda deixa a casa arrumadinha, dá pistas graduais e etc, tudo bem, as vezes os paradigmas mudam mesmo. Nós ficamos 59 volumes acreditando que uma pessoa só podia comer/possuir o poder de UM Fruto do Diabo e Marshall D. Teach explodiu nossos cérebros fazendo alguma bruxaria debaixo daquele pano. Só que quando as coisas mudam bruscamente assim, há dúvida até no mangá. One Piece não é bagunça e Oda é nosso Deus e nada nos faltará.

  • A primeira aparição no mangá:

O termo surgiu pela primeira vez na série no capítulo 234 do Vol. 25, quando Marshal D. Teach vê o poster de procurado de Ruffy e comenta: “Com aquela Ambição eu não achei que ele valia nem 30 milhões…“. Eu pesquisei algumas traduções da cena e o resultado você pode ver abaixo:

“Ânimo” vs… nada.

Acho legal a Conrad colocando “ânimo” (que é uma das acepções da palavra), ficou muito mais interessante que a Viz que simplesmente ignorou a palavra. Não culpo nenhuma escolha, no momento da publicação dessas duas edições acredito que o mangá não havia nem chegado na cena em que Shanks embarca no Moby Dick e o termo volta a aparecer. E sem o conhecimento de que isso é uma nomenclatura, um poder, até mesmo no japonês a palavra não encaixa muito bem.

  • Explicando a palavra “Haki”:

Pesquisas indicam que a palavra mais escrita em fórums de OP é “HAKI111!!!”

A palavra “Haki” é composta pelos ideogramas “Ha” de “Supremacia” e o “Ki” de “Aura”, “Espirito”, “energia” (e tantos outros significados que o “Ki” engloba), e pode ser traduzida literalmente como “Empolgação”, “entusiasmo” ou “Ambição”.

Só que na acepção de “Ambição” ela não pode ser definida como simplesmente uma ambição qualquer, um desejo do tipo “eu ambiciono comer a minha vizinha”, mas sim a algo que remete a dominação, conquista, força. A segunda acepção da palavra em alguns dicionários japoneses é “O forte desejo de se estar acima dos outros. Aspiração. Ambição.”

O conceito da “Ambição” em One Piece advém disso (especialmente a Tonalidade Imperativa) ela é a manifestação desse desejo interior, essa certa “grandeza” de espirito, uma superioridade possuída por alguns indivíduos que aspiram estar, estão ou já estiveram em posições de poder.

  • As minhas traduções dos termos:

Depois de muita conjectura, estudo e pensar como traduzir e adaptar melhor as variações do conceito, eu cheguei nessas traduções/adaptações:

 “Ambição na Tonalidade Observativa”
(Kenbunshoku no Haki)

“Ambição na Tonalidade Armada”
(Busoushoku no Haki)

“Ambição na Tonalidade Imperativa”
(Haoushoku no Haki)

Como no original, eu queria eliminar a preposição e não usar “Tonalidade do/de” e consegui.

Usar “Tonalidade Imperativa” foi o que mais me doeu (apesar de achar mesmo o ideal) porque perde a referencia a “disposição pra ser Rei”, contida na palavra. Só que o “Haou” ali é mais que um Rei, seria o “Rei Supremo”, aquele que busca a dominação total. Em inglês tem uma palavra muito boa pra isso que é “Overlord”, mas em português, nada.

Eu realmente poderia usar “Suserano” ou até mesmo “Soberano” (como inclusive já me foi sugerido aqui), mas além de eu achar “Suserano” uma palavra horrível, acho que a acepção da palavra remete muito ao feudalismo e não cabe aqui.  “Soberano” seria muito boa, mas pelos motivos que falarei abaixo, eu mantenho o meu “Imperativa”.

Outra palavra que caberia seria “Conquistador”, mas “Tonalidade do Conquistador” ou “Tonalidade Conquistadora” pra mim é o poder do Fábio Jr. (clique aqui e entenda =p) Então troquei o “Rei” por “Imperador”, pela acepção geral que a palavra tem de que um Imperador governa, tem mais territórios, está acima de um Rei e etc. Tudo bem, eu sei que os conceitos e a aplicação de termos como império, imperador, reinado e rei são muito maleáveis e dependem também do clima ideológico de certos países em determinados tempos, mas, foi a saída que eu encontrei. Além de “Imperativa” remeter a “Imperativo”, ordem, comando e acho que isso cabe e acrescenta ao feeling da coisa.

E eu uso “Tonalidade” simplesmente por achar mais bonito que “Cor” disso ou daquilo. Pra mim, dá uma imponência a mais e soa forte, assim como os termos em japonês que soam muito bem. Tá certo que Tonalidade é “matiz de uma cor”, mas a referencia tá intacta, eu acredito. E novamente, achar mais bonito que “Cor” disso ou daquilo.

Se não gostou, desculpe. Sinta-se livre pra falar “Color of Armaments” ou HAKII111 ou o que lhe deixar mais confortável, não tem problema mesmo. Mas aqui, obviamente, eu só irei me referir aos termos assim.

  • Mas afinal, o que é a “Ambição”?

Como Rayleigh mesmo explica no início do treinamento de Ruffy, a Ambição (como poder) é algo inerente a todos os seres vivos, mas que a maioria passa vida toda sem percebê-lo ou despertá-lo.

Haki_ray

“A “Ambição” é um poder que está presente em todas as pessoas… “Presença”, “Espírito de Luta”, “Intimidação”… ele não é diferente de tudo isso que as pessoas já são capazes de sentir. (…)
“Não duvidar”, isso é força!”
– Silvers Rayleigh

Ela nada mais é do que um super ultra hyper power-up de diversos conceitos humanos, que já são exagerados em mangás e em One Piece, “exagerados mais ainda”. É o “exagero do exagero” que eu acabei falando quando dei uma mini surtada nos comentários do capítulo 680.

Um senso de presença extremamente apurado, torna-se a Tonalidade Observativa, a Tonalidade Armada com sua função de proteger e agredir é um reflexo do espírito de luta, e a Tonalidade Imperativa acaba sendo uma intimidação extrema, o produto de uma disposição inabalável, de se estar acima dos outros, a “disposição para ser Rei” a que o mangá se refere.

A Ambição dividi-se primordialmente em duas Tonalidades, a Observativa e a Armada. A terceira Tonalidade é a Imperativa, extremamente rara. A maioria das pessoas tem uma afinidade com uma das Tonalidades e busca desenvolvê-la, mas é possível através de treinamento árduo se trabalhar mais Tonalidades (claro que a Imperativa apenas se o individuo possuir a disposição).

As Tonalidades são as seguintes:

– A Ambição na Tonalidade Observativa –
(“Kenbunshoku no Haki”)

A Tonalidade Observativa é, em essência, a habilidade de se sentir com muito mais intensidade a “presença” de coisas e pessoas. Com a evolução do poder, é possível aumentar o campo de ação e perceber pessoas que não poderiam ser vistas por estarem escondidas ou até mesmo distantes demais para serem vistas naturalmente.

Outro ponto (e um dos usos primordiais) da Tonalidade Observativa é o fato de se poder evoluí-la a ponto do usuário conseguir prever os movimentos futuros de um adversário (e até a dor que o ataque pode causar, caso seja atingido, como vimos com Satori antes de ser atingido pelo Concasse). A Tonalidade Observativa foi apresentada no mangá na saga de Skypiea e na ilha do céu o poder é conhecido como “Mantra”, onde era descrito como “o poder de ouvir”.

A “Dança das Cobras” de Thundersonia lendo os movimentos de Ruffy.

Apesar de permitir ler os movimentos do adversário, se o usuário não tiver velocidade suficiente, o poder não será de grande ajuda. Ruffy em Gear Second conseguiu superar a velocidade de Thundersonia e atingí-la mesmo com ela lendo seus movimentos. Eneru também foi incapaz de prever os golpes de ricochete de Ruffy, já que eles não derivaram diretamente de uma “intenção” de Ruffy e portanto, não puderam ser “ouvidos” (Assim como quando Ruffy “parou” de pensar e começou a se mover só por instinto com o “Gomu Gomu no Bo”).

A analogia de “vozes” é quase sempre utilizada pra se descrever a habilidade, como se o corpo expressasse suas atitudes futuras ou sentimentos através de “vozes” que podem ser “ouvidas” pela Tonalidade Observativa. Durante o Survival Game de Skypiea, Aisa sentia as “vozes” de todos desaparecendo, assim como Cobby, que despertou o poder espontaneamente durante a Guerra dos Melhores e experimentou o mesmo desespero ao sentir as “vozes” dentro de sua cabeça irem desaparecendo.

Aisa sofre com desaparecimento das “vozes”.

O alcance de tal “Rede Mental” (são os ideogramas usados em Mantra) varia de pessoa para pessoa, mas a Tonalidade Observativa é um poder que pode ser evoluído com treinamento. Em Skypiea, Eneru se utilizava do seu corpo elétrico para amplificar o uso, sendo capaz de interceptar ondas eletromagnéticas e com isso era capaz de cobrir toda a extensão do país e inclusive, ouvir as vozes reais de pessoas e conversas. Aisa parecia ser capaz de cobrir todo o Upper Yard, assim como os Sacerdotes.

O onipresente Deus Eneru!

Atualmente, Ruffy tem usado bastante a Tonalidade para se desviar de ataques de inimigos, mas não há dados concretos quanto ao seu alcance. Aparentemente ele detectou “uma fera” dentro do Castelo Ryuuguu, mas como ele estava também dentro do castelo, fica dificil mensurar. Na mesma cena, após serem avisados, Sanji e Zoro também passam a perceber a presença, mas nenhum dos três aparentemente conseguiu indentificá-la como sendo Caribou (até chegarem e vê-lo atacando Shirahoshi).

Como a Tonalidade Observativa é a habilidade de se sentir com muito mais intensidade uma “presença”, acredito que com o uso constante a sua percepção “normal” vai ficando mais apurada, fazendo com que mais coisas consigam ser “captadas” sem ser necessário uma concentração mais elaborada ou uma “ativação” propriamente dita. Sanji mesmo, quando estava no corpo de Nami claramente diz que “ativou” a Tonalidade para tentar achar o torso de Kin’emon, mas por (provavelmente) estar no corpo de Nami, o uso não foi muito eficaz.

Concentração inclusive parece ser um dos pontos chaves para a utilização do poder em sua completude. Gedatsu especificamente diz que ao se desconcentrar não conseguiu usar o Mantra e por isso foi derrotado por Chopper, assim como Sasori ao se irritar com Ruffy, e Otohime, que ao se exaltar pelas assinaturas estarem pegando fogo, deixou de perceber as intenções de Hody e foi baleada.

  • O despertar da Tonalidade & diferentes percepções:

O poder pode ser adquirido com treinamento (Ruffy), ser despertado espontaneamente por conta de algum fator externo (Cobby na Guerra) e ainda há aqueles que simplesmente já nascem com a capacidade de usar a Tonalidade, como Aisa e a Rainha Otohime.

Aisa ainda bebê sofria com a percepção aguçada da Tonalidade sempre que havia algum conflito na Vila dos Shandia (e ainda é sugerido que era culpa das intenções violentas de Wiper) e a Rainha Otohime podia sentir uma gama ainda maior de emoções emanando das pessoas, especialmente emoções negativas que sempre a afetavam profundamente, como sofrimento e tristeza.

Rayleigh foi um pouco mais além e em Rusukaina, quando estava treinando Ruffy foi capaz de usar a Tonalidade Observativa para medir a força das feras presentes na Ilha e compará-las com Ruffy. Até o momento ele foi o único a utilizá-la para esse fim.

Na versão anterior do artigo, houve um belo debate sobre a cena da superação de Zoro pra cima de Daz Bones em Alabasta, onde ele finalmente torna-se capaz de cortar ferro. Conforme eu respondi nos comentários, eu disse que poderia ter colocado a cena sim, mas acredito que não coloquei por uma certa “teimosia” minha. Teimosia minha no sentido de querer me distanciar o máximo possível do papo que “TUDO É HAKI11!!” que eu já falei na em cima. Só que isso é besteira e contra fatos não há argumentos: Tudo leva a crer a percepção da “Respiração” das coisas que Zoro adquiriu as portas da morte é a sua própria interpretação do seu despertar da Tonalidade Observativa.

TO_zoro

“A minha espada… Está debaixo daquela pedra… Eu sei disso!!! Eu já experimentei essa sensação antes…Onde tudo a minha volta fica absolutamente calmo… E eu consigo ouvir meus batimentos como se eles fossem tambores de tão alto… Isso é estar as portas da morte.
Eu senti das pedras que estavam caindo… Uma sensação de presença, como se elas estivessem vivas… Mas não é uma presença… É algo mais distinto e claro… Como se fosse uma… ‘Respiração’… Respiração das pedras…. Das árvores… Do solo…(…) E agora eu consigo ouvir… A ‘respiração’ do ferro dele…”

Porra, troca “respiração” por “vozes” e você tem praticamente a mesma descrição de uso da Tonalidade Observativa, afinal, ele passou a sentir com mais intensidade a presença de pessoas e objetos nesse momento de quase morte!!

Essa percepção mais aguçada o permitiu transmitir completamente sua vontade pra Wadou Ichimonji, fazendo com que ele conseguisse atingir finalmente o estado de ser um “espadachim que não consegue cortar nada”, unindo sua vontade ao seu corte, o permitindo finalmente cortar Daz Bones.

TO_zoro2

“A ‘Espada mais Forte’ é aquela que tem o poder de proteger o que se quer proteger e cortar o que se quer cortar. Uma espada que fere tudo aquilo que toca, pra mim… Não pode ser considerada uma ‘Espada’.”
– Koushirou

  • A “voz de todas as coisas”:

Quando confrontado por Robin sobre o Poneglyph de Skypiea (que tinha um recado “pixação” de Roger), Rayleigh confirmou que os Piratas Roger realmente sabiam tudo sobre a verdadeira história do mundo, mas que todos eles eram apenas Piratas que não tinham como ser comparados em inteligência com os Pesquisadores de Ohara e portanto, não decifraram a escrita dos Poneglyph e termina a explicação com uma nota enigmática:

“Ele (Roger) conseguia ouvir a voz de ‘todas as coisas’… apenas isso.”

Depois disso, quando Ruffy está tentando impedir Noah de se chocar com a Ilha dos Homens-Peixe, Ruffy por um instante conseguiu ouvir a “voz” dos Monstros Marinhos, fato este que não passou desapercebido pelas criaturas, que inclusive se lembraram de outra vez que isso aconteceu: Quando Roger conseguiu lhes escutar no fundo do mar.

Ruffy & Roger escutam a “voz” dos Monstros Marinhos.

É dito que não existe nenhum Sereiano ou Homem-Peixe que consiga se comunicar com os Monstros Marinhos (Exceto, obviamente a lendária Princesa Sereia da profecia, a que quando manifesta o poder acaba “tornando-se” a Arma Antiga Poseidon), não há como transmitir lógica ou sentimentos para eles e vice-versa, mas Ruffy e Roger de alguma forma conseguiram ouví-los.

Eu acredito que isso é uma espécie de hyper aguçada Tonalidade Observativa, algo que acaba se desenvolvendo naturalmente em pouquissímos indivíduos incrivelmente proeminentes ou predestinados (Só dois “D.” Até agora demonstraram tal poder) aquilo e que no fim, é o poder de “ouvir a voz de todas as coisas”, aumentando cada vez mais, fazendo-os ser capazes de ouvir feras indomáveis e incomunicaveis normalmente e chegando até a abstração de se “ouvir” qualquer “coisa”.

Isso remete ainda a controversa cena da primeira aparição do Dragão de Punk Hazard. Quando Ruffy, Robin, Usopp e Zoro se deparam com o Dragão pela primeira vez, o Dragão “fala” mas apenas Ruffy escuta o “Quem são vocês…?”.

Ao comentar que o Dragão falou, todos dizem que não ouviram nada, mas a luta prossegue e logos todos conseguem ouvir a “voz” do Dragão, que no fim, acabou se mostrando ser a parte da cintura pra baixo de Kin’emon falando pela bunda e terminando as frases com som de peido (“Bu”).

A cena é MUITO ambígua (tenho certeza que propositalmente, Oda seu fodão!) porque quando o Dragão já está morto e eles descobrem Kin’emon, ele mesmo fala “Quem são vocês?” da exata MESMA MANEIRA que a primeira “fala do dragão” (“Nani yatsu da..”) e ainda sem colocar o “Bu” no final ( isso é raro, mas algumas vezes Kin’emon articula frases inteiras com a bunda sem soltar o som de peido no fim). Só que na primeira “fala do dragão” o balão é um pouco estranho, ele tem uma borda preta um pouco mais grossa que o normal e o fato de só o Ruffy escutar nesse momento é bem suspeito.

No fim, mesmo analisando muito eu não cheguei a uma conclusão. Dá pra defender tanto a ideia de que era o Kin’emon, como quanto pode ter sido o Dragão. O Dragão leva vantagem pela misteriosa bordinha preta, mas Kin’emon ter falado a mesma coisa, do mesmo jeito depois, pra mim de alguma forma empata as coisas.

  • Alguns usuários conhecidos dessa Tonalidade: Sanji, Otohime, Cobby & Eneru.

(Eu queria não terminar essas sessões com o clichê de “Usuários conhecidos dessa Tonalidade”, mas é um jeito até interessantinho de afirmar “ó, essa parte acabou”, então, me perdoem rs)

– A Ambição na Tonalidade Armada –
(“Busoushoku no Haki”)

A Tonalidade Armada consiste em se imaginar a criação de uma “armadura invisível” em volta do corpo (ou certas partes do mesmo), a manifestando como uma aura e assim protegendo o corpo de ataques. Como Rayleigh diz, uma armadura forte também pode ser obviamente usada para atacar, e esse é um dos principais atributos dessa Tonalidade.

A barreira impenetrável dos 3 Almirantes.

Com exceção das fraquezas naturais dos Frutos do Diabo, a Tonalidade Armada é o único modo capaz de capturar o corpo físico dos Logia, tirando-os de sua aparente intangibilidade “invencível”, lhes causando dano físico. E não somente contra os Logia, já que um golpe com a Tonalidade Armada anula a inefetividade de ataques físicos do Gomu Gomu no Mi, por exemplo.

Com tudo isso já se deduz que a Tonalidade Armada é o mecanismo “anti-akuma no mi”, por assim dizer, do mangá. Revestir as mãos com a Tonalidade Armada é um meio de acertar o Magellan sem que sua mão derreta, provavelmente impede que a Hina possa te trespassar e te prender nas jaulas, e tá mais que provado em combates no mangá, que ela lhe defende dos efeitos modificadores da Ope Ope no Mi.

Boa Hancock acerta Smoker.

Um ataque imbuído nessa Tonalidade é extremamente mais poderoso do que seria normalmente, causando muito mais dano. Aparentemente também é possível envolver armas usando a Tonalidade para aumentar sua efetividade. E vários usos desse tipo apareceram no mangá, como a espada de Rayleigh (fez um corte no rosto de Kizaru e parou seu “avanço luminoso”), as flechas das Kuja, que mesmo sendo flechas comuns, ao serem imbuídas com a Tonalidade Armada são capazes de destruir rochas, a espada de Vista, o BAMBU DEMONÍACO do Vergo e muitos outros.

As poderosas flechas das Kuja.

Obviamente essa defesa não é absoluta e ataques de grande intensidade (mesmo não sendo feitos com a Tonalidade Armada) podem ultrapassar essas defesas. Ruffy mesmo conseguiu empurrar Boa Marigold com um Jet Bazooka mesmo com ela se defendendo com a Tonalidade. Ainda usando Ruffy de exemplo, ele mesmo diz após ser perfurado pela mandíbula de Hody o seguinte: “A Tonalidade Armada é forte contra ataques físicos, mas… contra esse tipo de dano (perfuração) a minha Ambição ainda não dá.”, Ou seja, conforme o “nível” da Tonalidade vai subindo, sendo treinada e etc, mais forte será a sua defesa e consequentemente, o ataque com ela.

A título de curiosidade, dá pra perceber que nos primórdios da utilização dela, quando uma defesa foi feita se usando dela Tonalidade de maneira absolutamente eficaz, o mesmo efeito visual foi aplicado.

Apesar de conseguir atingir o corpo dos Logia, a Tonalidade Armada não funciona como a Pedra do Mar (Kairouseki), que anula os poderes dos usuários e os deixam sem forças, conforme explicado por Robin quando Ruffy consegue capturar Caesar pelas pernas. Nessa ocasião o resto do seu corpo consegue se transformar em gás livremente e se movimentar de acordo.

Caeser é “capturado” mas ainda assim está livre.

Dito isso, eu preciso me retratar de um erro de interpretação bem feio meu, feito na versão anterior do artigo, presente na seção “Choque de ‘Armaduras’” onde eu escrevi o seguinte (tirei print pra ficar mais claro):

TA_retratação

Como assim “não tomou dano real”? EU FUI BURRO!! APENAS ISSO!! Mesmo já tendo acontecido exemplos da mesma situação que com certeza me davam base pra não ter falado essa besteira, eu falei! Me desculpem! Sou FODA mas ainda sou só humano rs

A questão de dizer “não tomou dano real” é burra e aconteceu simplesmente por me focar demais e literalmente na função primordial da Tonalidade Armada de capturar o corpo intangível dos Logia, como se houvesse uma distinção entre “corpo elemental” e “corpo real” pra que o dano ocorresse, mas é claro que isso não é necessário!!

CLARO que o Aka Inu tomou dano real (ele até geme, cacete!)!! A Tonalidade Armada torna o elemento “inatingível” (Já que nem todos os Logias são intangíveis) tangível ao golpe. É exatamente o que o Vergo diz pro Smoker lá no cap. 690: “Contra um oponente que tem um domínio elevado da ‘Ambição’, transformar-se em fumaça e aumentar seu volume só faz com que você se torne um alvo maior!!” e TOME-LHE PORRADA!!

BAMBUZADA NESSE OTÁRIOI!!

BAMBUZADA NESSE OTÁRIO!!

Foi extremamente errado cogitar a ausência de dano real! Com o uso da Tonalidade Armada o magma (e qualquer outro elemento) torna-se tangível e propenso a danos e ferimentos!! Assim como o Ao Kiji sangrou pro Jozz na guerra e o Ceasar sangrando em forma de gás depois de um socão em cheio do Ruffy!

No fim você virou putinha do Ao Kiji e perdeu o braço, otário.

No fim você virou putinha do Ao Kiji e perdeu o braço, otário.

TA_elemdano02

Que porrada!

O que fica em questão não é o dano ou não (que ocorreu, me retratei bem e deixei claro, certo? Concordam? Discordam? COMENTEM!) e sim o quão BRUTO não é esse Sakazuki pra tomar uma espadada potencialmente letal NO PESCOÇO de um dos melhores espadachins do mundo mais uma PATADA DE GALINHA HAKIADA e esses golpes não terem sido forte o suficiente nem pra deixar marca nenhuma ou sangramento depois. Foi como se fosse um tapinha de leve! Não é a toa que EJACULOU MAGMA NO AO KIJI OTÁRIO quando teve a chance!!

É interessante ver que tivemos uma palhinha dessa questão da “tangibilidade danosa pros Logia” (sem ser por fatores externos como a água no Crocodile e também não lembro do Ruffy ter acertado areia criada por ele e lhe causando dano) quando o Ruffy dá uma puta bicuda no Eneru na sua forma Amaru e faz ele sangrar!

TA_eneru01

Essa cena é completamente ridícula e absurda! Ser de borracha deveria apenas proteger o Ruffy da eletricidade e não torná-la tangível e passiva de danos! Enfim, liberdades criativas pra luta poder rolar nesse estágio do mangá… Ainda nesse assunto, essa cena só não é pior que essa:

TA_eneru02

Pois é, é o Ruffy desviando um raio gigante com uma bicudinha. O RUFFY DESVIANDO UM RAIO GIGANTE COM UMA BICUDINHA. AH VÁ!!!

 

  • O “Endurecimento Armado”:

Em algumas ocasiões, Ruffy – e alguns outros poucos personagens até o momento – utilizam-se da Tonalidade Armada para enrijecer partes do próprio corpo. Quase sempre que isso acontece, Ruffy “avisa” antes falando “Endurecimento Armado” (Busou Kouka) ou variações disso. Quando isso acontece, a parte endurecida fica enegrecida, semelhante a uma carapaça de ferro, sendo esse até o momento, o único efeito visível da Tonalidade Armada. Mas por que isso acontece?

O “Endurecimento Armado”.

Muitos defendiam a idéia de que o Ruffy por ser de borracha, sofria o processo de “Vulcanizaçao” ao utilizar-se do Endurecimento Armado. Tinha até um certo fundamento porque realmente o “Kouka” (endurecimento) pode se referir a vulcanização (apesar de que o processo em japonês tem outro nome, “Karyuu”) e borracha vulcanizada fica da cor preta. Na época em que escrevi a primeira versão desse artigo (Outubro de 2012), eu acreditava veementemente que o enegrecimento era um efeito do uso da Tonalidade Armada EXCLUSIVO ao corpo de borracha do Ruffy, e acreditava que não íamos ver (como não tínhamos visto até aquele momento) ninguém escurecendo por causa de uso da Tonalidade Armada.

Ledo engano!! Apostei forte, mas me estrepei feio. Praticamente umas duas semanas após eu ter postado a primeira versão do artigo, começou o confronto entre Smoker e Vergo, onde o Smoker utilizou-se do Endurecimento Armado pra socar bem forte a cara do Vergo. O Vergo não sentiu nada, mas em mim a pancada foi forte! Afinal, o Vergo já tinha mostrado o Endurecimento Armado antes, mas a leitura que fiz dessas cenas na época, foi de que ele era um akumado. Eu tinha tanta certeza disso que não existe nenhuma citação ao Vergo no artigo anterior. Pra mim era certo que ele se mostraria usuário do Tetsu Tetsu no Mi (fruto do ferro).

Então você me pergunta: “Mas Dios, que sem noção você! Era o mesmo efeito visual, porque diabos você pensou que poderia ser outra coisa?” e eu vou te responder com alguns argumentos que eu já cheguei a falar em alguns outros posts e você pode julgar e me dizer se eu não fui racional pra caralho!!

Desde a estréia do Endurecimento Armado, no capítulo 605 (onde ele foi chamado de “Tonalidade Armada – Endurecimento”) em quase todas às vezes (quase todas, mas não todas, ouviram?? Onomatopeia não é uma ciência exata e muitas vezes tema  ver com o feeling da cena/da pancada e etc) em que ele é usado, o sons de impacto produzido são sons “metálicos” (“gan”, “gon”, “gakin”, esses sons começados em “g” geralmente representam barulho de metal). Mas mesmo dando uma importância incrível pras onomatopeias para caçar “biri biri” pelo manga (leia sobre isso na parta da Tonalidade Imperativa) eu não fiz uma releitura extensa sobre isso, pois estava preso nas minhas próprias idéias pré-concebidas e “certezas”, que eram o Endurecimento Armado exclusivo ao Ruffy e o Vergo sendo akumado. Como diria o Mikihisa em Shaman King: “Não presuma!”.

Hody Jones sempre dando de cara no Endurecimento Armado de Ruffy.

Hody Jones sempre dando de cara no Endurecimento Armado de Ruffy.

Alias, foi toda essa questão “sonora” com o Vergo que me levou até o fim a acreditar que ele tinha comido um fruto e não usando Endurecimento Armado. Eu nunca tinha notado o som metálico quando o Ruffy utilizava!

Quando a Tashigi tentou acertar Vergo com a espada então e rolou o som “clássico” que se dá pra ouvir por todo o mangá em quase todo clash de espadas, do metal contra metal. “Giiiiiin” (fora os “gakin”, “gokin”, “gan” e outros sons “metálicos”. E você nem precisa acreditar na minha palavra ou no meu japonês se você quiser, aqui eu mato a cobra e mostro o pau LOL abaixo você pode “ler” as onomatopeias de clashs de espada tiradas de varias cenas do mangá)!

giiiiiiiiiiin!!

giiiiiiiiiiin!!

Como ignorar isso?? Não bastando a dica “sonora”, o Oda ainda faz o Sanji dizer “Saquei… Esse cara aí é como se fosse uma barra de ferro ou algo do tipo.” depois de afundar ele na parede com uma bicuda no capítulo 681! Se isso não bastam quando eles trocam chutes (melhor luta de Punk Hazard!) é esse CLANG CLANG metalizado pra todo lado!!

Que embate!!

Que embate!!

AGORA é óbvio afirmar que o Vergo sendo (até agora) o mais proficiente usuário do Endurecimento Armado já visto nesse mangá, estava se defendendo das porradas se endurecendo completamente. “Aiiin, mas não mostra ele pretinho se defendendo!!“, sim, o Oda poderia ter mostrado o Vergo endurecendo cada parte do corpo e o outro em algumas cenas aí, mas tudo leva a crer que ele guardou a maestria do vergo no Endurecimento Armado pra cena MEGA DON do ZULU DE ÉBANO NO SEU ESPLENDOR ENDURECIDO & ENEGRECIDO! Pra matar mais ainda a questão, pesquisei fóruns e sites japoneses e postagens na ocasião da publicação desse cap. e não deu outra. Tinha gente até teorizando se o Vergo não era um ciborgue por conta dessa cacofonia de lataria toda.

Porra, de boa? Analisei tudo racionalmente PARA CARALHO dentro da minha concepção de que o Vergo era um akumado com poder de se transformar em ferro, mas no fundo, era só o Oda “aprofundando” o Endurecimento Armado! E se o Ruffy abriu o precedente do “Endurecimento Armado” no uso da Tonalidade Armada, o Vergo foi o responsável por escancarar essa variedade e confirmar a mudança do estado da matéria onde ela é utilizada. Sim, estou dizendo que baseado em tudo que foi visto agora no mangá e analisando todos esses dados, o “Endurecimento Armado” é uma variação “mais forte” da Tonalidade Armada.

O Endurecimento Armado colorido pelo Oda é bonitasso!

O Endurecimento Armado colorido pelo Oda é bonitasso!

É como se a energia condensada da Tonalidade Armada em um ponto (ou vários ou no corpo inteiro como o MESTRE Vergo) criasse essa armadura “real” e endurecida nesse ponto. Acaba sendo completamente diferente da “armadura invisível” que é a Tonalidade Armada “normal”.

Tudo aponta pro Endurecimento Armado ser um uso condensado e concentrado, enquanto a Tonalidade Armada “normal” acaba funcionando mais como uma “energia externa”, uma barreira presente em torno do usuário ou em um só ponto dele. É como se o Endurecimento Armado fosse de natureza intensiva e o uso “normal” fosse de natureza expansiva. O maior e melhor exemplo que eu posso dar dessa natureza expansiva é a barreira dos Três Almirantes na Guerra:

Essa cena é tão foda que ela aparece duas vezes nesse artigo!

É bem claro que a Tonalidade Armada dos três se expandiram juntas a ponto de formar essa barreira intransponível que impediu o avanço devastador dos poderes da Gura Gura! É isso que eu quero dizer com natureza expansiva.

E esse uso ainda é constante no mangá, fazendo com que o Endurecimento Armado só possa ser definido como uma variação (mais eficaz talvez em certos aspectos) da Tonalidade Armada. O Endurecimento Armado não é simplesmente o “efeito visual” atual e geral pra definir o uso da Tonalidade Armada no mangá. Exemplos disso:

  • Smoker & Tashigi vs Trafalgar Law: Os dois sabiam que a única maneira de não serem desmembrados pelos poderes da Ope Ope no Mi era a proteção da Tonalidade Armada (e a da Tashigi falha miseravelmente!) e em nenhum momento o Smoker se utilizou de Endurecimento Armado pra efetuar essa proteção. A Tashigi também não precisou nem pra agarrar ou para finalizar a Monet na Biscuit’s Room.
  • Ruffy vs Ceasar: São inúmeras as situações em que Ruffy agarra o Cientista do Amor (e nesse caso, a Tashigi em forma de fumaça sem controle no corpo do Smoker também) e o machuca sem estar usando Endurecimento Armado. Na ocasião da publicação do Vol. 69, o Oda ainda fez questão de corrigir uma cena do cap. 681 e acrescentar o Endurecimento Armado e deixou outros golpes livres da variação.

Se vocês vierem argumentar e me dizer que “Aiiin, mas isso é porque o Oda só põe a dica visual quando o efeito do golpe não ia ser suficiente pra mostrar o uso do Haki111!”, porra, isso é burrice!! Na mesma luta no mesmo capítulo vemos o Ruffy se utilizar da Tonalidade Armada “comum” pra depois decidir finalizar e indo pra cima com tudo com o Endurecimento Armado! E se a deixa visual tivesse funcionando nesses termos porcos, isso aqui não seria One Piece!

E essa criação de uma variação que eu cito como um GRANDE PROBLEMA que eu tenho em relação ao desenvolvimento de todo esse processo gradual de surgimento do poder no mangá que eu me referi lá no começo do artigo. Fica parecendo que foi realmente uma coisa do editor que chegou assim “Porra, Oda, muito foda essa parada de Haki aí que você finalmente explicou antes do time-skip e tal, vai rolar pra caramba agora, né? Maneiro, mas saca só: Você tem que dar um jeito de fazer com que os leitores percebam que isso tá rolando, cria um efeito ae, vai!”, e o Oda foi lá e fez. Mas fez do jeito dele, uma parada criativa, nova, diferente. Só que isso acabou atropelando o desenvolvimento da coisa e refutando todo o trabalho gradual feito anteriormente!! Vou dar alguns exemplos de porque eu acho isso:

  • Guerra dos Melhores: Não ver o Endurecimento Armado em NENHUMA CENA da Guerra é um CRIME!!! O maior conflito já visto desde o inicio da Grande Era dos Piratas, que reuniu 2 e 1/4 dos Três Grandes Poderes do Mundo!! Piratas proeminentes, a nata da Marinha, o HOMEM MAIS FORTE DO MUNDO, todos combatendo loucamente e ninguém, ninguém se dignou a usar essa porra? Não rola nem um dedinho enegrecido e endurecido… AH VÁ!!!
  • CP9: É dito que todos os marines com patente de Vice-Almirante pra cima se utilizam da “Ambição”, certo? Muitos deles (e não só dessa patente, já que podemos citar o Cobby e a Tashigi) se utilizam de técnicas do Rokushiki, mas simplesmente não existe um intercambio de informação e técnicas com a CP9! Eu imagino os Marines GARGALHANDO da CP9 pensando “Huhauahuahaua! Esses caras ficaram ANOS pra aprender aquela merda do Tekkai e quando usam, nem conseguem se mexer!! Huhauhauahuahuaha!!”. FALA MUITO SÉRIO!! Da até pena lembrar daquela cena do Cap. Zero em que se vê Lucci, Jabura (esse é fodão pois quebrou o paradigma do uso parado do Tekkai), Fukurou e Blueno treinando arduamente desde molequinhos. Tudo que conseguiram foi uma técnica defasada, capaz de ser quebrada por piratas novatos começando sua fama no mundo, enquanto o Smoker em apenas DOIS ANOS consegue aprender a usar o Endurecimento Armado. Sério, a CP9 era responsável pela segurança de um dos Centros da Justiça do mundo, caralho!! Putaquepariu!!

Não dá nem pra arrumar uma desculpa esfarrapada (e completamente ridícula e escrota se fosse usada) do tipo “O Endurecimento Armado é uma nova descoberta do Haki que se propagou nesses dois anos.” porque 30 anos atrás Garp e Don Chinjao já estavam usando.

TA_koukagarp

O PUNHO afunda a BROCA!

O próprio fato da Tonalidade Armada ser primordialmente uma defesa extrema que pode ser revertida pra ataque é uma maldade enorme com a CP9. Esses filhasdaputa tinham que saber usar isso. PONTO FINAL. Se a Tonalidade Armada fosse apenas um meio de se acertar os Logias e fortalecer ataques e não tivesse essas características expansivas de defesa, ela não iria contradizer nada que foi feito anteriormente no mangá. Consegui ser claro do porque eu acho que a Tonalidade Armada em geral tem um GRANDE PROBLEMA de desenvolvimento? Enfim, você pode comentar lá embaixo a vontade!

  • Propriedades do Endurecimento Armado:
Flamingasso ARMADO! LETAL!!

Flamingasso ARMADO! LETAL!!

Assim como a Tonalidade Armada “normal”, o Endurecimento Armado pode ser imbuído em outros objetos, os endurecendo também com o mesmo visual característico do enegrecimento.

Vergo ENDURECENDO seu BAMBU DEMONÍACO!

Vergo ENDURECENDO seu BAMBU DEMONÍACO!

O endurecimento também pode ser imbuído em projéteis, já que Vergo quando transformou seu bambu numa ZARABATANA MORTAL, atirou uma porra pontuda qualquer endurecida pra cima do Smoker. Provavelmente o endurecimento não dura muito tempo no objeto após ele deixar de ter contato com o usuário. Um exemplo disso é o Jitte do Smoker, que mesmo endurecido não aguentou o pancadasso do Vergo e se partiu – ainda endurecido – e caiu no chão e quando o vemos novamente pouquíssimo tempo depois, ele já está em seu estado normal.

Como o próprio nome já diz, o Endurecimento Armado cria essa carapaça dura que endurece o corpo, ou material em que ele está sendo utilizado. Por isso mesmo eu acredito que seja impossível pra certos usuários usarem essa variação em conjunto com seus poderes. Duvido que o Foxy seja capaz de disparar um Noro Noro Beam, o Mr. 5 gerar uma explosão (VAMOS FINGIR QUE ESSES DOIS PERSONAGENS CONSEGUIRIAM UTILIZAR ENDURECIMENTO ARMADO, OK? rs) ou o Kizaru de disparar um laser através de um punho endurecido. Assim como não vimos em nenhum momento o Smoker gerar fumaça do seu punho endurecido na luta contra o Vergo.

Também por conta disso acredito que não vamos ver algum espadachim se utilizando do Endurecimento Armado em suas espadas, pois seria como simplesmente transformar um objeto cortante em uma barra de ferro. Imbuir a espada de Tonalidade Armada “normal” já parece ser suficiente pra fortalecer o corte e ultrapassar qualquer defesa natural de algum fruto (ou a “inatingibilidade” dos Logias), como já vimos Vista (contra Aka Inu) e Tashigi fazerem (contra a Monet).

A visibilidade ou não do efeito visual do Endurecimento Armado dentro do mangá pra outros personagens (usuários de Haki ou não) é algo inconclusivo. Ninguém falar nada sobre isso é uma pista, mas nada que eu considere conclusivo. Pro lado da visibilidade, dá pra considerar a cena do primeiro uso: O Kraken tava de boa na lagoa lá, nem ligando pro braço gigante do Ruffy. Até ele endurecer.

Fudeu pra você, mermão!

Fudeu pra você, mermão!

Tem até aquele efeito de “percebi alguma coisa” na cabeça dele. Pode ter sido só a própria energia da Tonalidade Armanda, mas pra mim, é uma pista. Mas como eu disse, não existem fatos que comprovem nem uma coisa nem outra até o momento. Vamos ter que esperar. Se tudo der certo, como o Oda adora me contradizer com o Haki, daqui a duas semanas vamos ter um puta desenvolvimento sobre todo o assunto rs

Apesar de eu usar o nome Endurecimento Armado pra me referir a essa variação, nenhum dos outros usuários dela o chama desse jeito, apenas o Ruffy e as vezes ele deixa o “Endurecimento” de lado e usa apenas “Cabeça Armada” (Atama Busou) ou “Gear 2nd Armado” (Gear 2nd Busou). Nenhum dos outros usuários da variação sequer disseram alguma coisa durante seu uso, com exceção de Don Quixote do Flamingo que disse apenas “Armado” (Busou) quando usou a variação com maestria pra se defender de Ruffy e depois porrá-lo lindamente!

Fufufufufuffufu!!

  • Os usuário de Endurecimento Armado até agora são: Monkey D. Ruffy, Vergo, Smoker, Don Chinjao, Garp, Sabo, Jesus Burgess e Don Quixote do Flamingo.
  •  Choque de “Armaduras”:

Na luta entre Smoker vs Law, ante dela começar ele avisa os Marines do G5 pra se afastarem já que com o nível deles eles seriam todos afetados pelo poder de Law. A luta começa e Smoker mesmo estando dentro da ROOM defende inúmeros golpes de espada e não tem o corpo separado (como outros Marines do G5 que entram no raio de ação dos “cortes”), até que Tashigi se mete na luta e logo após o aviso de Smoker de que “Com o seu nível de Ambição você não vai conseguir!” e ela é CORTADA AO MEIO (sua inutil!) já que sua Tonalidade Armada não era forte como a do Smoker, que o estava protegendo dos efeitos da Ope Ope no Mi.

Smoker vs Law

Mas no fim da luta, Law saiu vitorioso conseguindo arrancar o coração de Smoker. Afinal, o que aconteceu? Smoker por um instante se desguarneceu? Law também imbuiu seu braço com a Tonalidade Armada com mais “força” que a do Smoker e penetrou sua defesa?

Com tudo que a gente viu no mangá até agora, a hipótese mais plausível na minha opinião é essa mesma. Se a proteção da Tonalidade Armada pode ser violada até mesmo por ataques comuns (Jet Bazooka e mordida do Hody), não teria porque uma ataque mais forte não penetrar uma defesa mais fraca ou uma defesa mais forte ser penetrada por um ataque mais fraco.

Não é o caso de um “choque de armaduras” mas vale lembrar que a Tonalidade Armada também não é absoluta em gerar dano. Boo revestiu seu machado com Tonalidade Armada e o bicho simplesmente se partiu, pois não foi suficientemente forte pra sequer arranhar o corpo monstruosamente forte de Bobby Funk.

Chupa essa, Boo!

Chupa essa, Boo!

  • Alguns usuários conhecidos dessa Tonalidade: Jozz, Sentoumaru, Boa Marigold, Pekoms, Tashigi & Don Quixote do Flamingo.

 

– A Ambição na Tonalidade Imperativa –
(Haoushoku  no Haki)

A Ambição dos escolhidos! A “disposição para ser Rei” e de estar acima dos outros que apenas poucos escolhidos possuem. Definindo em poucas palavras, essa Tonalidade consiste no poder de intimidar em níveis extremos um adversário.

A incrível “Ambição” de Shanks!

A Tonalidade Imperativa é extremamente rara (de acordo com as Kuja, apenas 1 em cada 1 milhão de pessoas possui a disposição) e não pode ser obtida através de treinamento. Os indivíduos que a possuem simplesmente nascem com essa disposição e gradativamente acabam despertando o potencial.

Apesar desta Tonalidade poder ser controlada, ela não pode ser EVOLUÍDA através de treinamento. Sendo uma manifestação do próprio “espírito” da pessoa, ela cresce e se fortalece em conjunto com o crescimento pessoal do indivíduo. De acordo com Rayleigh, a Tonalidade Imperativa é possuída por diversas pessoas de grande renome pelo mundo.

Sendo uma manifestação de intimidação extrema, o uso primordial (e mais visto até agora) é o de se nocautear instantaneamente inimigos consideravelmente mais fracos. Entretanto, o nocaute só acontece quando há essa distância razoável de força entre os indivíduos.

Ruffy acaba com 50 mil inimigos de uma só vez!

Oda inclusive explica em uma SBS (vol. 65) que na cena em que Ruffy nocauteia 50 mil dos 100 mil aliados de Hody, Shanks ou Rayleigh provavelmente conseguiriam nocautear todos de uma vez. E que se os 100 mil tivessem uma força considerável, Ruffy não teria derrubado ninguém com o uso da Tonalidade. Ou seja, esse abismo de força entre o indivíduo usando a Tonalidade e aquele que está sendo intimidado precisa existir para que o efeito pleno (nocaute instantâneo) aconteça.

Ao se obter um maior controle sobre a Tonalidade, é possível intimidar (e nocautear) um ou mais indivíduos sem afetar outras pessoas ao redor, assim como também escolher certos indivíduos em uma multidão e direcionar a intimidação apenas a eles.

Outro uso que tem sido praticado por Ruffy depois dos 2 anos de treinamento é a capacidade de domar feras se utilizando da intimidação extrema da Tonalidade, demonstrando sua superioridade sobre elas. As feras de Rusukaina já estavam completamente domadas no fim do treinamento e o Kraken logo após o seu nocaute. Com algumas feras mais fracas, o processo é praticamente instantâneo.

Fica quieto ae, mané.

Quando a Tonalidade ainda não consegue ser controlada pelo usuário, ela geralmente se manifesta em momentos de emoções extremas, quase sempre seguida de ordens ou comandos dados nesses momentos mais desesperados.

Na primeira vez que Ruffy se utilizou da Tonalidade eficazmente (apesar de ter sido inconsciente) foi contra Motobaro, ao simplesmente afirmar “lutar comigo é inútil.”. Contra seres humanos foi em Amazon Lily, ao desesperadamente ordenar as Irmãs Boa para pararem de ameaçar Margaret (“Já disse pra pararem com isso!!!”), assim como Ace, que já aos 10 anos de idade já tinha despertado o potencial e ao ver Ruffy prestes a ser assassinado pelo bando de Bluejam, acabou nocauteando a todos (exceto Bluejam).

Ace derrubando os homens de Bluejam.

As pessoas que sofrem o efeito da intimidação extrema da Tonalidade Imperativa geralmente caem desacordadas imediatamente e começam a espumar pela boca. Em algumas ocasiões, mesmo quando o individuo vem a desmaiar mas aguenta o suficiente para sentir o “tranco” da Tonalidade, ele sente uma espécie de calafrio/tremedeira que precede o desmaio. Até mesmo aqueles que não chegam a desmaiar, mas sentem a essa pressão, chegam a sofrer com esse calafrio. Relendo o mangá percebi que existe uma certa padronização no uso da onomatopéia para esse efeito de sentir a tonalidade mas não ser derrubado por ela, que é a “biri biri“.

Diferente de “buru buru”ou “gata gata”, que são os mais “padrões” pra tremedeira (seja de frio ou medo), “biri biri” é mais usado pra sensação de choques elétricos ou dormência, algo que achei extremamente condizente com a Tonalidade Imperativa. Vejamos alguns exemplos…

Ruffy utiliza a Tonalidade Imperativa em Amazon Lily – Marigold e Thundersonia BIRI BIRI…

Rayleigh utiliza a Tonalidade Imperativa no leilão de escravos – Ruffy só no BIRI BIRI…

Shanks utiliza a Tonalidade Imperativa no Moby Dick – Tripulação toda no BIRI BIRI…

Shanks utiliza a Tonalidade Imperativa no Moby Dick – Nem Jozz escapa de sentir um BIRI BIRI…

Ruffy utiliza a Tonalidade Imperativa na Praça Gyoncorde – Hody Jones não desmaia… mas sente um BIRIRI!!

Ruffy vs Crocodile na Câmara Mortuária da Família Nefertari… CROCODILE BIRII!!?????

TI_crocov2

Cacete… meu queixo quase caiu. Considerando a importância que o Oda dá pras onomatopeias (temos o exemplo recente do Zoro em Punk Hazard mastigando laminas que praticamente só dava pra perceber por elas), isso não é de graça. O Crocodile ainda tem aquelas linhas de movimento desenhadas em volta dele, como se tivesse tomado um tranco mesmo (tá praticamente tudo IGUALZINHO a imagem do Hody da Praça Gyoncorde!).

E nessa cena o Ruffy tá putasso e vai pra cima dele com tudo e gritando “…Ela deveria estar rindo muito mais!!!!” (completando a frase da página anterior “Se esse é mesmo o país dela…”). Enfim… Manifestação precoce no calor do ápice dessa batalha extrema ou eu estou lendo profundamente demais o mangá? Dá até vontade de mandar cartinha pra SBS…

Inclusive, depois de escrever a primeira versão desse artigo, fiquei feliz pacas de ter iniciado uma “caça aos biri biri”. Acho que a “padronização” desse efeito é realmente um achado importante. Eu mesmo corri atrás do mangá depois de já ter escrito a primeira versão do artigo e achei mais dois que se encaixam no contexto, afinal, eu ainda preciso reler o manga inteiro pra ver se temos um “biri biri” usado pra tremedeira normal (frio/medo/ranger de dentes), mas até o momento eu não achei nenhum. Enfim, vamos a eles:

 Momonga se TREMENDO TODO no “biri biri” depois de ver o Barba Branca arrasando marines da Guerra.

Momonga se TREMENDO TODO no “biri biri” depois de um ataque devastador do Barba Branca na Guerra.

Nessa cena, tudo leva a crer que ela se encaixa no contexto de uso em batalha que eu vou falar um pouco mais abaixo (caso Ruffy vs Don Chinjao). A única pista de ter tido algum tipo de emissão de Tonalidade Imperativa é a onomatopeia, mas eu acredito que realmente esses grandes picas grossas do mundo de OP, os ALFAS PICAS, quando partem com tudo nessa fúria decisiva acabam gerando essas emissões pra cima de seus inimigos, mas isso é apenas uma conjectura minha, mesmo achando que essa cena me dá essa base pra acreditar nisso.

O outro (até eu realmente reler o manga inteiro com essa finalidade) parece levar o título de “biri biri” mais antigo de todos, confiram:

Wapol e Chessmarimo tremendo na base só no “biri biri”.

Wapol e Chessmarimo tremendo na base só no “biri biri”.

Pois é, e também depois de uma resposta totalmente assertiva e dominante do Ruffy pra cima deles. Novamente, manifestação precoce no calor do ápice dessa batalha extrema ou eu estou lendo profundamente demais o mangá? Eu não consigo mais ver isso como algo que não seja um indicativo da já concepção da Ambição na série. O quebra-cabeças da resposta de uma idealização bem precoce do conceito da Ambição por parte do Oda ganha mais uma peça. Foda que ainda tem pistas que jogam o negócio todo mais pra trás ainda… Mas, como eu disse lá em cima, não acredito num desenvolvimento desse conceito DESDE O INÍCIO DA OBRA! Vou defender até quando eu puder que o Shanks intimidou normalmente e “na boa” o bicho.

  • A “Fisionomia do Rei” (Haou no Shou):

Em duas ocasiões respondendo perguntas nas SBS, Oda deu a entender que a passagem do Bando por Loguetown foi extremamente corrida. Uma delas é no Vol. 13, quando ele explica os Sniper Goggles do Usopp (e mostra o rascunho da página que ficou de fora, mostrando a compra deles) e a outra é no Vol. 15, onde ele diz que gostaria de ter desenhado sobre isso, mas correu com as coisas porque queria que o Cap. 100 se chamasse “A Lenda Começou”. E e aí que entra isso aqui:

TI_logue01

“One Piece – Saga de Loguetown”

“One Piece – Saga de Loguetown” é uma novelização da Saga de Loguetown escrita por Tatsuya Hamazaki e que supostamente contém ideias originais do Oda pra saga, que por conta da sua pressa, acabaram sendo deixadas de lado. Talvez eu devesse ter comprado o livro pra dar uma olhada pessoalmente antes de escrever isso, mas, eu pesquisei bastante sobre ele e vou escrever aqui tudo que descobri.

Geralmente essas novelizações são apenas baseadas nas sagas do anime, elas costumam ser simplesmente uma versão em livro das sagas, mas essa aqui é diferente. Ela foi publicada ANTES da versão animada da saga e contém cenas que foram pensadas pelo Oda pra serem colocadas no mangá, mas acabaram de fora! Uma delas é a compra dos Sniper Goggles (no anime o Usopp consegue eles de maneira diferente), que o Oda só mostra o rascunho pois a página teve que ficar de fora do cap. 98 (SBS Vol. 13)!! Ou seja, esse livro acaba sendo uma novelização não do anime, mas sim do mangá.

Em uma das cenas do livro, Ruffy tá andando por Logue Town e conversa com um velho e o diálogo é o seguinte:

Ruffy:
Ei, velho! Por que antes você ficou me encarando?

Velho:
Eu sou um fisionomista. Eu olho pro rosto das pessoas e faço previsões. Esse é meu trabalho.

Ruffy:
Previsão pela cara das pessoas? Caramba, existe isso, é…? E você acerta?

Velho:
Acertar ou não acertar não é a questão. Dar um estímulo, um certo impulso a vida da pessoa através da previsão que é o que importa.

Ruffy:
Hmm… Mas então, diz aí: Que cara eu tenho?

Velho:
A Fisionomia do Rei dos Reis (Haou no Shou).

Ruffy:
Mas hein?

Velho:
É aquele que está sempre desejando e almejando o topo, essas são as qualidades possuídas pelos que tem a Fisionomia do Imperador (Teinou no Shou).

Ruffy:
Caramba, que cara demais que eu tenho, hein!

Velho:
Entretanto, isso também é um sinal de má sorte, já que a morte está sempre lhe perseguindo.

Ruffy: Opa! Sério?

Velho:
E essa não é uma fisionomia fácil de se ver. A última vez que vi uma dessas foi há 22 anos…
O Rei dos Piratas, Gold Roger possuía a mesma fisionomia que você.

__________________________________________________________

Putaquepariu, caralho, porra!! Será que se Logue Town não tivesse sido tão apressada por conta do capítulo 100 nós veríamos essa cena no mangá? Seria mais uma coisa pra ligar o Ruffy ao Roger e isso ia deixar o Haki no mangá como um conceito realmente muito mais bem pensado e planejado com essa dica tão cedo na série!

Estranho é o vidente ter falado da “Fisionomia do Rei” (Haou), pra mudar pra “Fisionomia do Imperador” (Teiou), que é um conceito real de vidência japonesa (assim como a “Haousen” – A Linha do Rei, na quiromancia), mas acho que o Tatsuya Hamazaki só estava criando um paralelo pros leitores. Foda, a progressão do Haki como força definidora e modificadora de paradigmas no mangá podia ter sido muito mais bem construída!

Lembrando que esse livro foi publicado em 17/07/2000, época que o mangá tava começando Drum e nunca tinha acontecido citação alguma a “Ambição” (haki) ou ao “Rei” (Haou). Puta merda!

 

  • Choque de “Ambições”:

Quando Ruffy e Don Chinjao finalmente entraram em conflito no Coliseu Corrida em Dressrosa, a primeira troca de golpe deles resultou em uma devastadora onda de Tonalidade Imperativa que causou a queda instantânea de todos os competidores restantes do Bloco.

TI_choque

Esse “choque de ambições” foi forte o suficiente pra fazer com que as pessoas da platéia colocassem seus braços na frente do rosto, assustadas, mas não forte o suficiente pra que elas chegassem a desmaiar com o efeito. Diamante, o Oficial de Elite da Família Don Quixote que estava assistindo a luta comenta que o que ocorreu foi “Uma colisão de ‘Tonalidades Imperativas’…”.

Como na cena seguinte Don Chinjao diz “Hyahoho, então você consegue usar a Tonalidade Imperativa… Tá sonhando em ser o Rei do quê?”, dá pra descartar qualquer hipótese de ter sido uma emissão acidental por parte do Ruffy (até porque agora ele já mestrou os básicos das Tonalidades, né.), fazendo com que essa fosse a “estréia” do uso da Tonalidade Imperativa em um confronto de pancadaria direto. (Já viram essa cena no anime? Parece que rola uma explosão nuclear, o caras não tem noção alguma!)

É como eu teorizei lá em cima, como se os dois estivessem indo pra cima com tudo, tentando subjugar um ao outro não só na porrada, mas também com suas determinações. Ambos disputando quem vai estar no topo! Sem hesitar! Como mesmo disse o Rayleigh “Não duvidar”, isso é força!”! Eu acho essa cena extremamente sensacional e impressionante! Mas a gente já entra no plano da conjectura em relação aos efeitos de uma emissão dessas em outros combates, já que nesse os dois estavam em total pé de igualdade e elas simplesmente se anularam, mas qual seria o efeito em alguém mais fraco, mas não fraco o suficiente pra desmaiar? Imagine um inimigo mesmo por um segundo desestabilizado ou impressionado com o “tranco” de uma emissão dessas? Devastador.

  • Alguns usuários conhecidos dessa Tonalidade: Don Quixote do Flamingo, Boa Hancock, Edward Newgate, Portgas D. Ace & Monkey D. Ruffy.

 

  • Especulações gerais sobre a Ambição:

Aparentemente aqueles que mestram o poder de alguma forma conseguem sentir seu uso em ação. Não falando apenas de perceber o uso óbvio da Tonalidade Imperativa de desmaiar pessoas, mas sim de identificar (e nivelar) o poder como um todo e perceber seu uso (ou ausência).

Sentoumaru conseguiu identificar que o soco com que Ruffy derrotou um Pacifista em Shabondy estava imbuído com a Tonalidade Armada, assim como quando Ruffy derrubou Bacura em Amazon Lily, as Kuja notaram a ausência da Tonalidade Armada no golpe. Como?

Sentoumaru percebe o soco imbuído de Ambição de Ruffy.

Será que a explicação mais simples seria a resposta? Que simplesmente aqueles que sabem do poder conseguem sentir a “aura” da Tonalidade? Aparentemente, sim. Senão não for o caso, como isso acontece?

Alguns personagens – dois até o momento – foram muito além disso e conseguiram avaliar a “totalidade” da “Ambição” de Ruffy (e provavelmente de outros personagens).

Barba Negra faz isso quanto ele introduz o conceito pela primeira, já de maneira a avaliar Ruffy (“Com  aquela Ambição eu não achei que ele valia nem 30 milhões…“), e quando o reencontrou em Impel Down sentiu que a Ambição de Ruffy havia evoluído (“Você é mais forte do que eu pensei… E sua Ambição também aumentou em relação a antes.”).

E nessa época Ruffy ainda nem sequer conhecia o conceito e não o usava conscientemente (apesar de vir demostrando o potencial há tempos). O que eu quero dizer é que mesmo sem Ruffy dar nenhuma manifestação do poder, Barba Negra conseguiu avaliá-lo em sua “totalidade”. É bem diferente de avaliar, por exemplo, a Ambição de Shanks quando se encontrou Barba Branca exalando Tonalidade Imperativa por todos os poros.

Outro que fez a mesma coisa foi Bellamy, logo depois de ter perdido no Bloco B do Coliseu Corrida, ele encontra Ruffy e diz:

“Urgh… quem mudou foi você. Como essa ‘Ambição’
que superou e muito qualquer expectativa minha…!!!

Novamente sem Ruffy dar nenhuma manifestação do poder! Talvez os dois tenham feito uso da Tonalidade Observativa similar ao que Rayleigh usou em Rusukaina, quando determinou que existiam mais de 500 criaturas na ilha que eram mais fortes que Ruffy naquele momento, mas eu acho difícil, pois ambos parecem ter nivelado de alguma forma o potencial “total” da Ambição de Ruffy.

Tudo isso leva a crer que aqueles proficientes na “Ambição” conseguem identificar outros usuários (já proficientes ou com o potencial dormente ou só essa energia natural não despertada, já que como Rayleigh mesmo diz, a “Ambição” (como poder) é algo inerente a todos os seres vivos) e sentir o “nível” deles nessa proficiência. Teach no primeiro encontro achou o Ruffy um bostinha, enquanto Bellamy enxergou o abismo que o separava de Ruffy. Praticamente como olhar pra alguém e sentir “carai, esse maluco é forte!”, só que de maneira mais elaborada, aparentemente.

  • Considerações finais:

É isso galera! É tudo que eu tenho a dizer sobre a “Ambição” em One Piece! Se você chegou até aqui, muito obrigado mesmo! Como eu disse lá no começo, espero que tenha sido divertido e informativo. Acho que o artigo tá bem caprichado!! E por favor, se alguém for divulgar isso, por favor faça o link para o site e não saia copiando e colando o post e as imagens em qualquer fórum (isso infelizmente tem acontecido muito!), eu tô escrevendo e reescrevendo isso há semanas, seja solidário.

Comentários e discussões são muito bem vindas como sempre! É isso!

Grande abraço a todos!!

Anúncios